Brasileiro na Capcom? Quase…

 por Lucas Patricio

Brasil sil silSexta-feira é dia de esfriar a cabeça e ver o que realmente valeu a pena ler e refletir durante a semana, certo? Não muito. Anda acontecendo tanta coisa que eu terei que abrir novas discussões com vocês hoje.

A primeira bomba é algo que me deixa muito feliz e orgulhoso. Meu grande camarada Claudio Prandoni postou uma excelente entrevista com um dos produtores de Apolo Justice: Ace Attorney, que saiu até no blog da Capcom! Isso sim é uma prova que o jornalismo de games brasileiro pode virar noticia no exterior sem precisar de escândalos.

Obrigado, Prandoni. São caras como você que me fazem ter orgulho de estar nesse ramo. Quando crescer quero ser que nem você!! (isso inclui ter aquele sorriso maroto).

———————–

Depois dessa super noticia, vou colocar aqui algumas reflexões que tive durante a semana. Contribua, compartilhe e colabore com minha lista.

Lost Odyssey foi lançado oficialmente no Brasil. Lá se vai meu dinheiro que estava “guardando”. Esse eu PRECISO comprar. RPG ocidental rulez.

Atualização do Call of Duty 4 pode chegar esse fim de semana na Live. OMG, lá se vai o meu tempo que eu estava “guardando” para tirar a cara da frente do videogame.

SSBB lidera mais uma semana de vendas no Japão. Alguma novidade aqui? Naaah.

Fique de olho em Soma Bringer. É dos produtores de Xenogears. Precisa falar mais alguma coisa? Naah.

A Synergex Brasil mandou avisar: Turok também será distribuído em território nacional com caixas e manuais em Português. Mais um título importante chegando através da empresa.

Me preparando para soltar a língua no GoLuckast dessa semana…

Steam a todo vapor :)

por Wagner Araújo

SteamA mais recente batalha dos formatos de armazenamento de dados parece ter chegado ao fim, Blu-ray e HD-DVD se digladiaram por alguns meses e agora nós já temos um vencedor, o Blu-ray sagrou-se campeão nessa arena virtual, porém quero propor aqui uma simples pergunta: “Será que a próxima geração de consoles ainda terá jogos em disco?”

Digo isso baseado no sucesso de um serviço que vem angariando cada vez mais usuários, um serviço que não só conta com um catálogo interessante de jogos como também serve de janela para novos sucessos, estou falando do sistema de distribuição digital da Valve Corporation e para quem ainda não conhece tentarei apresenta-lo nas próximas linhas.

Apresento-lhes o Steam

O Steam é basicamente um serviço online de vendas de jogos para PC, porém diferente do que se vê nas lojas nele você não adquire o jogo e aguarda receber em casa a caixinha com o CD/DVD, você simplesmente adquire o jogo e realiza o download do mesmo para o seu computador assim que o pagamento é confirmado. Para realizar tal transação é necessário possuir o software do Steam instalado e a partir dele você terá acesso a biblioteca completa dos jogos disponíveis, além disso o Steam atualmente conta com funções de comunidade como a possibilidade de adicionar contatos (amigos) para partidas, verificar estatísticas dos demais jogadores, conversar através de texto ou voz e verificar listas de partidas em andamento (podendo entrar e participar das mesmas). A essa altura todos já devem ter comparado essas funções as das redes presentes nos atuais consoles e com razão, muitas das funcionalidades da Live e PSN estão presentes no Steam.

O Steam tem suporte para a língua portuguesa e seu download pode ser realizado gratuitamente aqui, para os brasileiros é necessário o uso de cartão de crédito internacional para a realização dos pagamentos que também podem ser feitos pelo sistema PayPal. Não existe nenhum tipo de mensalidade você só paga pelos jogos comprados. Ao comprar um jogo você recebe a CD Key do mesmo, então basta realizar o download para a sua máquina e posteriormente usar a CD Key para ativar o jogo, caso delete o jogo ou troque de computador não é preciso comprar denovo, basta fazer o download novamente e usar sua CD Key.

Muitas produtoras já aderiram ao Steam: THQ, Capcom, Rockstar e id Software são só alguns exemplos e podemos ter certeza de que essa lista tende a crescer cada vez mais, muitos jogos de peso (como Bioshock e COD4) estão disponíveis para compra através desse sistema que além das funções citadas também permite verificar atualizações para os jogos e conteúdo extra.

Além disso, ontem o UOL Jogos noticiou que Doug Lombardi, vice-presidente de marketing da Valve, revelou ao site Tom’s Games que pretende implementar até o fim do ano novos tipos de conteúdo para distribuição através do Steam, o que incluiria também vídeos e músicas, além de mais parcerias para a distribuição de jogos. Hoje o Steam conta com mais de 15 milhões de usuários cadastrados.

Lançamentos

Direto ao ponto

Depois de falar sobre o Steam chego ao ponto dessa conversa de quinta-feira, o sistema apresentado está dando um novo fôlego ao mercado de jogos para PC que sofre com a pirataria tanto quanto os consoles, a possibilidade de adquirir os jogos sem sair de casa e ainda com preços menores é muito atrativa, em comparação com os PCs os consoles atuais também contam com HD’s cada vez maiores e a velocidade da internet banda larga cresce exponencialmente (pelo menos lá fora), então refaço a pergunta: “Será que a próxima geração de consoles ainda terá jogos em disco?”
Deixarei minha opinião nos comentários assim que vocês se manifestarem…

“Certa vez quando criança sonhei com um jogo de Atari que era distribuído num disco de vinil… teria sido um sonho premonitório para a era dos jogos em CD?”

Motivos para virar Sonysta

por Lucas Patricio 

Uhuuuuu!!!!!Não leve esse título a mal, afinal, todos sabem que o GoLuck é um blog sem “ismo” algum. E para provar, vou dar alguns bons motivos para se tornar um Sonysta  Agora. No exato momento em que você acabar de ler esse post. Dúvida? Eu te desafio.

Sejamos sinceros: quem aqui não ficou no mínimo maravilhado com tudo que já foi anunciado sobre Metal Gear Solid 4? Acho que todos nós concordamos que esse será o melhor título de PS3 (por algumas décadas, talvez) e um forte concorrente para quebrar o jejum de um game lançado no primeiro semestre a ganhar prêmios de melhor do ano. Agora o game já tem data de lançamento: 12 de Junho.

Só o fato de ele ser exclusivo para o PS3, já me dá uma enorme vontade de comprar o console APENAS para jogar MGS4. Sério, não é brincadeira. Já pensei seriamente nisso. Mas infelizmente, um pobre desempregado como eu não pode se quer pensar em algo assim.

Para deixar você com água na boca, que tal mostrar a caixa que virá o Playstation 3 + MGS4? Sim, é tão fantástica que aposto que você já havia descido para dar uma espiada nela antes mesmo de chegar nessa parte do texto. Acertei? Não se preocupe, esse é o primeiro sintoma de “sonysmo”.

Seja feliz como esse cara…Talvez menos…

O Bundle promete ser um sucesso, e eu adoraria receber um desses de presente. Mas falando em bundle, outro título exclusivo muito aguardado pelos fãs da Sony é God of War. Só que como a versão do console de mesa pode demorar um pouco para sair, o jeito é ir dilacerando monstros do Olímpio no portátil PSP. Que tal ter um PSP desses aqui?

Sim, essa é a versão oficial do PSP que virá no pacote especial, acompanhado de uma cópia de God of War: Chains of Olympus, o filme Superbad em UMD e um convite para fazer o download de Syphon Filter: Combat Ops da Playstation Store. Grátis. E tudo isso por U$199. Nada mal hein?

Agora para encerrar a lista de boas notícias para os Sonystas (ou futuros): o lançamento do Dual Shock 3 já foi confirmado nos Estados Unidos, ele chega dia 15 de Abril por U$54,99. Ah, o controle também vai estar presente no bundle do MGS4.

Isso eh Metal Gear Online. Tem novidade abaixo!

Quer mais sobre MGS? Então vamos lá: o beta de Metal Gear Online vai começar em Abril, apenas para quem fizer pré-compra (ou pré-venda).

E pra terminar, uma das melhores noticias: MTG4 trará uma retro-compatibilidade para os donos do PS3, que vai permitir jogar os outros títulos da série. Eles serão emulados por software e apenas o terceiro episódio (MGS3:Snake Eater) é que não irá “rodar 100%”.

Agora pare, reflita sobre tudo que você leu e viu e pense: será que seria uma má ideia comprar um Playstation 3 com MGS4? Será que um PSP daquele com God of War  não viria bem a calhar?
Se você titubeou ao responder uma dessas perguntas, bem, pode se considerar um Sonysta “em andamento”. Bem vindo ao clube.

Nao existe mais desculpa para não entender a historia ou nao se interessar por ela…
Fonte e foto: Kotaku

Videogame 2.0?

por Wagner Araújo

Criatividade 2.0!No último domingo o Lucas e eu nos reunimos com nossos amigos para jogar RPG e entre uma rolagem e outra de dados o assunto videogames veio à tona, todos os presentes na citada sessão são entusiastas confessos dos jogos eletrônicos e mais do que isso, adoram debater sobre o assunto.

Um dos assuntos levantados foi a respeito das futuras versões de alguns jogos, como por exemplo: “o que esperar de novidades no Rock Band 2?”. Especular é um passatempo interessante e num momento de novidades e possibilidades como o que vivenciamos agora a criatividade dos desenvolvedores de jogos parece não ter limites. Não faz muito tempo que discutimos aqui mesmo no blog a respeito da integração de Fable 2 com alguns futuros títulos da Xbox Live Arcade e vimos que uma medida simples como essa pode trazer possibilidades imensas.

Adentrando a floresta sombria da especulação

Porém nossa conversa entre livros e dados durante a sessão de RPG acabou abordando um outro assunto interessante e resolvi estender a conversa de domingo com os leitores do blog, pois enquanto “especulávamos” sobre as possíveis novidades de Rock Band 2 o Lucas falou a respeito de um rumor que aponta a possibilidade dos jogadores inserirem as suas próprias músicas no formato mp3 para serem interpretadas pelo jogo, após alguns instantes de debate nós chegamos a conclusão de que isso seria um tanto inviável, já que prejudicaria o atual sistema de venda de pacotes (packs) de músicas já tão famosos na Live e na PSNetwork (e futuramente no Wii). Quem compraria uma música se pudesse exporta-la de um CD qualquer? Isso sem contar com os problemas de direitos autorais e afins, após todos darem o veredicto de rumor infundado e depois de mais algumas rolagens de dados para definir os rumos de um combate foi a minha vez de citar outro pertinente rumor: a possibilidade de criar as suas próprias músicas no próximo Rock Band. Lembro que nas primeiras entrevistas com os produtores de Rock Band, poucos dias depois de seu lançamento, a idéia de criação de músicas era apontada por eles como um objetivo para a continuação do jogo.

É claro que algo assim seria capaz de revitalizar uma franquia ainda em seu auge e pensando bem a idéia de criação de conteúdo pelos usuários, nesse caso os jogadores de videogame, pode ser uma tendência ainda para essa geração.
Quem joga no PC já convive com essa realidade há algum tempo, criar novos mapas, skins, armas e conteúdo diverso já é algo comum no universo de teclado e mouse, lembrando que não só a criação mas também a distribuição e compartilhamento entre os usuários.

Lutando contra dragões negros (PSN) e verdes (Live)

Como sempre tiveram uma ligação estreita com a Internet os jogos para PC foram pioneiros nesse ramo, oficialmente ou não muito conteúdo desenvolvido por usuários se tornou famoso em diversos jogos, gerando até polêmicas (alguém ouviu falar de cs_rio?), mas de qualquer forma sempre contribuíram para estender o divertimento proporcionado pelos jogos em questão. Isso sem citar os jogadores que através das ferramentas de edição presentes nesses jogos acabaram desenvolvendo gosto pela coisa e hoje trabalham e se dedicam ao desenvolvimento de novos jogos.

Nos consoles porém o assunto é outro, só agora na atual geração é que a interatividade online ganhou espaço e passou a ser determinante nos jogos, no entanto as redes responsáveis ainda possuem limitações quando o assunto é criação de conteúdo por usuários. Unreal Tournamnte 3 (UT3) lançado no final do ano passado para PC e PS3 faz parte de uma franquia marcado pela criação de “mods” através das ferramentas presentes no próprio jogo, a versão para PS3 não conta com essas ferramentas, mas uma atualização recente permite que o conteúdo criado no PC possa ser transferido para o PS3. Esse já é um grande passo e espero que tais ferramentas estejam presentes nas versões futuras também para os consoles, no meu ponto de vista seria uma evolução natural, assim como é hoje a possibilidade de jogar partidas online com cada vez mais jogadores numa mesma sala. A versão de UT3 para o Xbox 360 ainda não foi lançada e entre os motivos para o atraso seria exatamente as limitações impostas pela Microsoft quanto a criação e distribuição de conteúdo pela Live, alguns argumentos apontados pelas empresas responsáveis pelos consoles são até sensatos, já que elas temem que os jogadores possam usar tais ferramentas para criar “mods” que possam ser de alguma forma ofensivos (moralmente falando) ou ilegais (ferindo direitos autorais caso alguém resolva criar um personagem baseado em alguma marca ou personagem existente).

O assunto é complicado, talvez as atuais redes presentes nos consoles devam passar por reformulações para permitir que os conteúdos gerados por usuários possam ser utilizados de forma coerente, talvez com a criação de filtros para evitar “mods” ilegais, ou quem sabe com um sistema que permita que os próprios usuários reportem qualquer conteúdo que possa ser considerado nocivo. Alguns jogos já ensaiaram os primeiros passos, Halo 3 por exemplo tem uma ferramenta chamada Forge onde é possível editar os mapas presentes no jogo e compartilha-los com os amigos, é muito divertido, mas é somente edição, não é possível criar um mapa novo por exemplo.

Sua vez de rolar os dados

O que os dados tem a ver com tudo isso? E depois de toda essa divagação volto ao Rock Band e baseado nos próprios argumentos que apresentei vejo que a criação de músicas através do jogo pode estar distante de acontecer, já que ela esbarra em todos os problemas citados. E vocês, caros leitores, acreditam que ainda nessa geração teremos o “videogame 2.0”, onde a criação de conteúdo pelos jogadores passe a fazer parte do cotidiano de nossos jogos favoritos?

“Toda boa sessão de RPG não passa de uma desculpa para reunir o pessoal e colocar a conversa em dia…”

GoLuck Productions

por Lucas Patricio 

Esse foi o melhor título que encontrei para esse post, pois hoje gostaria de compartilhar com vocês, leitores queridos que adoram comentar, duas produções feitas no “GoLuck Productions”.

A primeira é o GoLuckast #08, que foi ao ar ontem, e eu tenho certeza que você ainda não baixou. Mas fique tranqüilo, vou dar mais uma vez o link para você fazer o download, colocar no seu MP3 player e curtir boas discussões sobre videogame.  Clique aqui e manda ver!

A segunda produção é feita por mim e pela equipe do Wii Brasil. Faz muito tempo que não posto (oficialmente) aqui no blog os novos vídeos do WiiTV, mas como o programa voltou de férias, acho que vocês podem se interessar em dar uma espiada no programa e comprovarem que eu não sou “ista”.

Parte 1

Parte 2

Aguardo comentários, sugestões e opiniões. Tenham um bom dia.

Nota: preciso melhorar esses meus finais de texto…

GoLuckast #08

por Equipe GoLuck 

Mais um GoLuckast e mais uma imagem sem criartividade.Esse fim de semana eu (Lucas Patricio) passei 50% do tempo editando programas de vídeo e de áudio, 45% com minha namorada e os outros 5% jogando Rock Band. Como é difícil sentar no meu computador para editar alguma coisa olhando para o Rock Band, me chamando para jogar.

Tudo bem, eu me controlei. Até porque o compromisso de trazer todos os fins de semana o GoLuckast para os nosso leitores/ouvintes é maior que a vontade de jogar. Pelo menos eu posso jogar depois que o podcast for ao ar, hehe.

Essa semana um podcast grande, robusto e recheado de muito bom humor e informações. Nossa equipe (de dois) comentou sobre as novidades da GDC, polêmica da Sony, expectativas e etc.

Chega de papo furado, comece a escutar o GoLuckast #8, comente e conte para um amigo. Agora com licença que eu vou conquistar meus primeiros fãs virtuais…

GoLuckast #8

Tamanho: 24,5 MB
Duração: 54m
Formato: MP3

Portal para o sucesso

por Lucas Patricio

Entenda essa imagem e depois me explique. Brincadeira…O.oA Game Developers Conference (GDC) deu muitos prêmios ontem, e o grande foco das atenções foi Portal, o melhor “game-teste-inovação-bunitinho-hardcore” do ano. Portal não só esteve sob a atenção de todos os presentes no evento, mas também trouxe de volta a discussão: será que teremos Portal 2?

Vamos pensar com lógica: um game que foi incluído como “bônus” em um pacote junto com outros “jogos do ano”, com certeza não foi produzido com o pensamento de se tornar esse sucesso que se tornou. Até digo que criou uma nova tendência, com direito a tietes e tudo mais.

É evidente que a Valve deve estar planejando algo para o futuro. Mas o que será que veremos? Portal 2? HL2 Episode Three: Portal? Portal Wii?

Em entrevista com o G4 americano, uma co-produtora do game meio que deu a entender que um possível Portal 2 esteja nos planos da empresa. Ok, eu sei que ela não disse nada que já não sabemos, mas é bom escutar isso da boca de alguém de lá.

Acreditam que a música dos créditos (Still Alive) estará presente para download em Rock Band? Onde esse mundo vai parar. Só quero ver como vou fazer voz de Torrent, já que o meu Rock Band já chegou. (uhuu)

Eu acredito que Portal será realmente expandido para outras plataformas. Digo mais, acredito que até mesmo os portáteis terão suas versões. Já imaginou uma versão de Portal DS com direito a até mesmo editor de mapas com suporte para trocas online? Será uma suposição ou uma previsão? Hum, melhor vocês lembrarem do que eu falo…

Opa, falando em previsões, comecei bem o ano. Lembram do meu post sobre Gears of War 2? Eu disse que um dos indícios que eu tive do vídeo apresentado era a possível disputa de serras elétricas. Parece que não só eu quem acha isso. Mas você especulou antes no GoLuck.

Torçam por mim: estou desempregado.