Eu X Meu Preconceito Gamer

por Wagner Araújo

)Estava eu, tranquilamente, lendo o texto do Sr. Patricio a respeito de sua overdose Pokémon e uma frase me chamou a atenção: “Mas após umas 15 horas de jogo eu vi que o os novos Mystery Dungeons não eram tão ruins como diziam, e então resolvi tirar o preconceito e jogar os demais jogos da série para o DS”. Parece uma frase bem simples, mas nela percebi algo que muitos de nós fazemos sem nos darmos conta, nós temos preconceito contra alguns jogos.

Isso mesmo, essa palavrinha que muitas vezes é usado de forma pejorativa, mas que encontra como definição: “um julgamento prévio rígido e negativo sobre um indivíduo ou grupo (ou game), o conceito deriva do latim prejudicium, que designa um julgamento ou decisão anterior, um precedente ou um prejuízo”. Então como bem indicou o Sr. Patricio, após deixar de lado o seu “julgamento prévio” ele pôde experimentar uma boa oportunidade de diversão proporcionada pelos jogos que ele previamente acreditava que não poderiam fazê-lo.

Inspirado pela já citada frase resolvi revirar minha memória gamer e tentar lembrar de algum título pelo qual já tivesse manifestado tal sentimento e confesso que não precisei revirar muito já que tive um exemplo perfeito ainda nessa geração de consoles, com um jogo que não só me divertiu, mas também rendeu uma análise para o blog, estou falando de Devil May Cry 4.

Há muito tempo atrás…

Ainda no PS2 o primeiro Devil May Cry acabou chegando a minhas mãos e foi com um olhar torto que o recebi, o estilo “exagerado” inspirado nos desenhos animados japoneses não me atraiu e apesar de ter curtido Cavaleiros do Zodíaco em minha infância nessa época já não suportava mais tais exageros. Depois de trocar alguns golpes no comando de Dante percebi que não conseguiria “digerir” tal jogo e ele acabou encostado em algum canto da prateleira. Se fosse enumerar os fatores que me afastaram do jogo eu citaria: 1) japonês demais (ops, sem preconceito); 2) repetitivo; 3) esmaga botões…

O segundo Devil May Cry veio e eu nem me dei ao trabalho de olhá-lo, nesse momento notem que o preconceito quanto ao jogo já era de 100%, afinal só o nome já me fazia tecer todo o tipo de comentário, muitas vezes citando os itens enumerados acima, no entanto para minha surpresa em 2005 deparo-me com um jogo e torno-me fã quase de imediato sendo que tal título, à grosso modo, apresenta semelhanças com Devil May Cry, estou falando de God of War. Tirando o item “japonês demais”, God of War enquadra-se no mesmo estilo de Devil May Cry, porém a única coisa que me fez jogá-lo na época era o fato de ser uma franquia nova, livre então de qualquer preconceito.

O tempo passou, Devil May Cry 3 foi lançado mas eu estava ocupado demais jogando God of War para notá-lo. E foi só agora no Xbox360 que resolvi deixar o preconceito de lado e experimentar de forma mais imparcial o novo Devil May Cry (em sua quarta versão) e como todos conferiram na análise a experiência ao jogá-lo foi divertida. Apesar das limitações que citei no texto o jogo ainda conseguiu me deixar ansioso por conferir o final da história, efetuar os combos insanos e assistir às animações exageradas foram igualmente gratificantes e após o término da aventura percebi que deveria ter sido menos preconceituoso e ter experimentado as outras versões quando tive a oportunidade.

Dante

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…

Sei que esse é um exemplo bem simples, talvez me aprofundando um pouco mais em minhas lembranças possa relembrar de outros títulos que pré-julguei, às vezes baseado em opiniões alheias ou minha falta de visão, só sei que desde minha experiência com Devil May Cry 4 tenho ficado mais atento aos critérios que uso para ignorar ou não um título.

Recentemente comentei a respeito do jogo do Homen de Ferro, graças aos deuses (e a Sega) uma versão demo foi disponibilizada para teste, mesmo não sendo uma porcaria pude perceber que o jogo não corresponde às expectativas e já foi retirado de minha lista de compras, um dos meus preconceitos “videogamísticos” ainda vigente diz respeito às adaptações cinematográficas, esse infelizmente ainda não superei, mas convenhamos que a culpa não é minha.

E vocês têm sido preconceituosos ultimamente?

Anúncios

27 comentários sobre “Eu X Meu Preconceito Gamer

  1. Vixe, eu tenho uma lista enorem XD uahuaha
    Mas Wagner, nao esqueça do seu preconceito com GTA!!! Ve se deixa disso e comrpa logo GTAIV pra eu ir jogar na sua casa!! uHAuhauHA

    Olha, eu tinha MUITO preconceito com FIFA. Até eu jogar a versão 05 de PS2 e ver que eles tavam se esforçando. A versão 08, pelo menos para mim, mostrou quem é o novo rei dos campos. Imagina se eu ainda tivesse preconceito?!

    Outro que eu tinha preconceito eram jogos de click and play. Meu, eles são BONS DEMAIS! uahauhauah

  2. Confesso que depois de ler esse texto, muito bom por sinal, percebi que sou preconceituoso e muito! São vários jogos e gêneros, inclusive poderia até fazer uma lista. Mas pra não tornar meu comentário chato, vou citar somente um para não causar polêmica.

    Tekken (All) – Peguei trauma ao ver a ex-namorada do meu primo jogar. Meu primo era viciadão no negócio, sabia executar combos tudo direitinho. Depois que eu vi a ex-namorada dele dar um coro nele comecei a ter aversão a esse tipo de jogo.

    Calma não é preconceito feminino, calma, pelo contrário! Isso é só um exemplo. O que eu quero dizer é que ela jogava sem saber o que estava fazendo, apertando botões aleatóriamente. Era incrível perceber que naquela época o jogo não tinha estratégia nennhuma comparado com o saudoso Street Fighter. Não sei como está a série hoje e nem faço questão de saber. É claro acompanho vídeos, datas de lancamentos, mas não faço questão nenhuma de jogar. Pra mim a série é famosa “Teste de Controle”.

    Isso ocorreu também um pouco com Soul Edge, mas o que me fez dar chance ao gênero foi Soul Calibur. O jogo mudou um pouco minha maneira de ver o gênero, não que eu seja fã mas que muita coisa melhorou, isso sim.

    O legal deste post é que ele pode virar tipo um confecionário! (Rs)

    E aí alguém se confessa?

  3. Marcio Bros

    Caracoles tu não jogou Devil May Cry 3? OMG! vc perdeu um dos melhores games de PS2!! shuahuahau (até prefiro DMC3 que God of War, pelo desafio ) mas tudo bem, acho que todos nós já tivemos algun preconceito com certo game, o que eu lembro agora de mais marcante foi (não me levem a mal hehe) ENTER IN THE MATRIX Sim, este game foi duramente criticado por milhares de billhões (de centenas) de pessoas, mas eu como fã do primeiro filme, fiquei profundamente decepcionado com as análises negativas que saiam aos montes, ná época sempre ia a casa de um amigo trocar games que eu não curtia ou que tinha terminado, e lá estava o tão maledito game do filme Matrix, como não tinha nada a perder , acabei pegando o game, ao conferir…Eu simplesmente NÃO ENTENDI o porque das duras críticas as lutas corpo-a-corpo eram fantásticas e de forma inovadora aquilo me deixou tão empolgado que nas fases mais avançadas vc era praticamente obrigado a ir armado para conseguir avançar no game, e eu ia “não mão” mesmo correndo feito um louco nas paredes (desde quando um louco faz isto?)e abusando o efeito “bullet Time” que era a sensação do momento, posso ser o único ser deste planeta que deve ter gostado do game, mas aquilo ficou na minha memória….

    PS. Também me lembrei de Mario Golf, desci a lenha apenas por ser de golfe, sei lah achei que não tinha nada a ver…foi so por minhas mão no game…e já sabem o que aconteceu …e hoje…TO JOGANDO DEMIAS TIGER WOODS (sério??) sim é sério, mas só no wii que tem graça agora..hehe

  4. Marcio Bros

    OMG!!!!! agora colocaram sal na minha ferida agora shuahau!!! como assim esmagar botoês em Tekken? Tekken é uma Poesia em forma de jogo, jamias um game pode me manter tão concentrado e realizado em uma luta complexa que exige reflexos, raciocnio rapido (isso não é a mesma coisa?) cada perosnagem exige muito treino para total domínio de sus golpes e seus “delys” suas fraquezas, sua velocidade seu peso, tudo isso se encaixa na estilo de vida que é tekken, fazendo de vc e seu personagem um único ser dentro da arena…

    TEKKEN FANBOY:MODE>>OFF

    shuahuashauha desculpa foi só pra desabafar hahaha, mas sério cara, dê uma chance aos Tekkens mais recentes, aí sim vc irá aprender o verdadeiro sentido da vida, e após disso, suba no pico de uma montanha, encha os pulmões de ar e solte dizendo, EU SOU FELIZ!!!

    TEKKEN 6 VENHA PARA O 360 PLEASSSSSEEE \o/\o/\o/

  5. Tiago Cabral

    Tenho preconceito com simuladores de carro, já tentei mas não rola mesmo. Antigamente eu tinha preconceito com RPG’s o unico que eu tinha gostado um pouco era o Skyes of Arcadia do meu finado Dreamcast, mas no PS2 não colocava nem ferrando. Um dia meu cunhado deixou o Final Fantasy 12 em casa e depois de um tempo após terminar o fabuloso God of War 2 e ver meu PS2 brochar com a falta de bons jogos, resolvi dar atenção a 12° Fantasia Final. Não preciso dizer que foi um dos melhores jogos que já joguei, viciei em RPG’s e depois fui atrás de Silmeria – Valkirie Profile e outros bem legais. Hoje com meu XBOX360 já joguei Blue Dragon, Oblivion e agora estou detonando Lost Odissey.

  6. Pois é Marcião.. Você tem razão, irei dar uma chance ao jogo, vou loca-lo e quem sabe eu não mude de opinião. Agora também vou precisar de analise, pois só de lembrar a ex-mina do meu primo afundando os botões…. Argh!

  7. Xii Tiago se eu for falar de RPG vou ser banido eternamente do GoLuck….Brincadeira o Lucas já sabe, ou não sei lá!! (Rs).

    Acho que não é segredo pra ninguém eu devo ter comentado, não consigo jogar de forma alguma RPGs com batalhas por turno, prefiro as de tempo real…

    Hoje o meu preferido é Oblivion. E acreditem ou não essa semana eu joguei Kingdom Hearts II (Buraco heim!) que por sinal é MUUIUUIUUITO bom e todos já sabiam, inclusive eu!

    O ruim é que eu nunca vou joga Final Fantasy, alias até saiu um em tempo real senão me engano, mas ainda não tive a oportunidade de joga-lo.

    Quem venham as pedras!

  8. Na minha opinião isso é normal, eu por exemplo não gosto de ver filmes de faroeste e dramas (e os dois gêneros juntos menos ainda!), ou ler livros de auto-ajuda (especialmente aqueles que prometem ser um rapid-fire)… é melhor você perder jogos maravilhosos pelo seu gosto pessoal do que só jogar jogos por motivo de “modinhas”.
    Tem um monte de gente agora que só está jogando GTA4 não por que gosta, mas por que está na moda.

  9. Tenho uma confissão: sou preconceituoso com RPGs de ação. Odiei quando joguei FFXII e não passei das 3 horas de jogo até hoje! Sim, foi um dos poucos FF que parei de jogar =\

    Mas tive que dar meu braço a torcer com jogos como The World Ends With You…Puts, é muito bom! Quem sabe eu possa encarar um FFXII agora? Ah…sei lá XD

    Marcos: Não gosta de turnos? Tem outro emprego em vista? 😛

    Marcio: O “problema” de Tekken é que existe um abismo entre o “pro player” e os demais. Trabalhei com um cara que era campeão em Tekken, manjava demais, e tpw, era impossivel ganhar dele no smashing. Mas se eu pegasse um cara que soubesse jogar mas nem tanto, o smashing pode dar certo.

    Todo jogo de luta em 3D é assim…

  10. Nossa quanta gente preconceituosa…
    😀
    Ok ok… Eu também dei umas vaciladas… Eu acabei tendo preconceito com tudo da Nintendo por trauma de infância… Meu pai e minha mãe se recusaram duramente a me dar um super nintendo… Saí do nintendinho 8 bits para o??? Master System… Depois um Sega Genesis q comprei de um amigo após muito chorar (na época de PS1 já)… Depois q me formei e comecei a trabalhar me endividei todo pra comprar o Play1 (meus amigos já estavam com o 2)!!! Mais algum tempo de trabalho… E eis q finalmente consegui um salário para comprar o PS2!!! Na nova nova geração eu me apaixonei à primeira vista pelo 360… Mas a grana nunca dava… Então eu fiz as contas e vi que gastaria menos para ter um start decente no Wii ao invés de me preocupar com 360 pelado… Então foi o que fiz, investi o pouco que tinha e catei um Wii… Quem diria que um cara tão traumatizado como eu cairia nas garras da Nintendo!!
    😀
    Obs.: Eu realmente torcia o nariz para tudo o que vinha da Nintendo… Com excessão, claro, dos pokemons hauahuahua

    Torçam para que eu venda o meu Wii e consiga o meu tão sonhado 360!!! auhauhauhha
    😀

  11. Marcio Bros

    @ Lucas, pois é cara concordo contigo, os jogos 3Ds requerem uma longa linha de aprendizagem (é com S ou com Z??) e se for jogado apenas na porradaria sem pretenção, pode enjoar fácil, ao contrário dos Hadoukens e Shoryukens que estão presentes em quase todos games de luta em 2D (e pos falar nisto onde estão os games de luta 2D???) onde é mais fácil um novato pegar e sair batendo!! (mas não me agrada muito porque não há muito fator tático, mas to loko pra jogar o novo Street Fighter :P)

    Bruno Julião, ow cara se esforce para manter o 360 e o wii, posso afirmar com certeza que é a melhor mistura depois do leite com Toddy, embora o wii esteja meio lento em termos de grandes lançamentos acredito que o branquinho da Nintendo não fará feio daqui uns tempos

    Wii360 rules!!! \o/\o/\o/ (to linguarudo hj né:P)

  12. Poh Marcião o problema é q eu vou vender o Wii para fazer uma grana… Dae ainda vai sobrar um dindin pro meu amigo trazer um 360 show lá de fora
    😀
    Mas assim que der eu compro outro Wii… Alguém aí estaria afim de me ajudar e comprar um Wii? heim heim?
    😀

  13. Tiago Cabral

    @Marcos
    Pô cara, eu também ficava estranhando os turnos de RPG no começo, mas depois me acostumei! Não é a toa que Skyes of Arcadia do Dreamcast eu adorei, mas o Final Fantasy 12 é bem legal, depois que vc aprende as novidades sobre o lance de tempo real, o jogo fica extremamente divertido! vc tem mais tempo para explorar (o visual do jogo é animal!)… agora Kingdom Hearts é fogo!!rsrs… esse eu tinha e fiz igual o Lukas, joguei um pouco e larguei!!

  14. Pois é Tiagão, vc tá certo, mas eu ainda não entendo muito as regras magias, jogar com três personagens, esperar golpes, afinal sou loiro é muita informação pra minha mente.(Rs)

    Enfim, deve ser o que disse mesmo, costume.

    Pra não falar que não joguei RPG de turno, joguei na casa de uma amigo Lost Odyssey. Nossa! Os gráficos são muito bons e impressionantes, porém as batalhas de turno fizeram desistir do jogo…

    Mas eu prometo, vou tentar…

    Quando criança odiava Jiló e despois que eu cresci sabe o que mudou?

    Nada continuo detestando…Ahahahaha XD

  15. Marcos: Os avatares são personalisados pro pessoal que não tem avatar cadastrado no wordpress. Eles variam de acordo com o email da galera. Chique né?

    Gustavo: Puts, eu tb tenho um certo preconceito de MMO. Acho que nao tem como jogar aquilo junto com outras coisas. Ou vc joga SÓ aquilo ou vc nao é bom, e aí é osso né 😛

  16. Pablo Raphael

    Eu tenho 😛

    Então… eu tinha preconceito com GTA.

    Todos os outros gêneros de jogo, eu experimento. Nem que seja pra dizer “Não gostei”. Achava que nunca gostaria de Guitar Hero qdo ouvi falar, mas fui lá e uau, q massa.

    Como eu fui durante muito tempo um PC gamer, adorava FPS, estratégia, corrida e longos rpgs ocidentais. Continuo gostando disso tudo, mas ampliei o leque, nos ultimos anos.

    Mas meu preconceito com GTA vinha dos PCs. No meu tempo de lanhouse, sempre tinha a molecada noob (opa, sem preconceito. ou quase) que ficava lá jogando só pra fazer zoeira, bater em prostitutas e usar cheats pra engordar, pegar armas e correr pelado. Eu não via graça nenhuma naquilo.. e não conseguia nem chegar de GTA por isso.

    Até que recentemente, adquiri por um preço bacana, Vice City e San Andreas, do PS2. E fui joga-lo “a sério” que é mais o meu estilo. E.. apaixonei. Que jogos fantásticos (Exceto pelas missoes RC)!!!

    Tipo, a razão de ter comprado de uma vez por todas e até que enfim o 360 foi pra jogar GTA IV.

    Então, não acho que seja preconceito não gostar de um gênero ou jogo (ainda não consigo gostar de Gran Turismo, por ex, prefiro corrida com “historinha”)mas acho que você tem que experimentar primeiro.

  17. Pablo Raphael

    @Marcio Bros

    “(…)mas não me agrada muito porque não há muito fator tático, mas to loko pra jogar o novo Street Fighter”

    cara.. jogo de luta 2d é pura tática. vc pode até se virar com hadoukens e shoryukens mas dominar o jogo exige muuuito aprendizado. Experimente tirar uns contras de KOF98 e de Street Fighter 3 contra jogadores experientes e você vai ver a diferença 😉

  18. Pingback: E enquanto todo mundo joga TWEWY… « NDS Page

  19. Eu tenho preconceitos e com alguns estilos que muitos gostam aqui… Estou até meio receoso de escrever quais, mas vou escrevê-los mesmo assim:

    Eu não suporto jogos MMORPG’s, RPG’s com batalhas por turnos (só gosto em tempo real como o Marcos disse) e jogos no estilo GTA como o próprio GTA e Bully (pode-se dizer que não gosto dos jogos da Rockstar Games). Outra coisa: ao contrário do que o Bruno disse, eu não gosto da fase atual da Nintendo e prefiro mil vezes a fase gloriosa do SNES.

    Um jogo que eu tinha receio de comprar por achar que não ia gostar (está aí o pré-conceito) era Kingdom Hearts por ser RPG (gênero que nunca fui fã), mas por incrível que pareça gostei do jogo. Eu comprei o KH 2 e já estou a procura do KH 1… Que mudança né?

    Só garanto que isso não vai mudar com os outros jogos que eu mencionei antes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s